quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Coluna do dia 17/08/17

***Museu Oscar Niemeyer traz a mostra de Los Carpinteros***


Crédito da foto: Divulgação.

***O Museu Oscar Niemeyer (MON) traz no dia 22 de agosto, terça, às 19h, a mostra Los Carpinteros: Objeto Vital. São obras produzidas com a utilização criativa da arquitetura, da escultura e do design, por um dos coletivos de arte mais aclamados da atualidade. Os cubanos Marco Castillo e Dagoberto Rodríguez – Los Carpinteros – são conhecidos pelo forte apelo social das obras e pela crítica ácida, sagaz e bem-humorada.

O secretário de Estado da Cultura João Luiz Fiani diz que é uma grande felicidade abrir essa exposição no Museu Oscar Niemeyer. “Dois cubanos geniais, grandes nomes mundiais das artes visuais, que trazem esta exposição que fala sobre arquitetura, design, escultura, com uma criatividade impressionante. Aproveito para parabenizar a direção do MON, bem como a curadoria”, afirma.

A diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika, ressalta a qualidade da mostra. “A mostra Los Carpinteros – Objeto Vital exemplifica a alta qualidade das nossas exposições temporárias, cuja seleção privilegia produções paradigmáticas, sejam elas referências históricas ou pesquisas experimentais em pleno curso”, analisa. Com curadoria de Rodolfo de Athayde, a exposição ocupará duas salas do MON, com mais de 60 obras: desenhos, aquarelas, esculturas, instalações e vídeos.

O público poderá acompanhar todas as fases do coletivo, desde a década de 1990 até obras inéditas, feitas especialmente para a exposição no Brasil, a partir de ideias e desenhos anteriores. “O objeto será o protagonista desta exposição, forçado a uma constante metamorfose pela ideia artística: imaginado em desenhos, projetado e testado nas maquetes tridimensionais ou alcançando sua vitalidade máxima como utopia realizada nas grandes instalações”, descreve Athayde.

A exposição Los Carpinteros – Objeto Vital tem como patrocinador máster a Sanepar e apoio institucional do Banco do Brasil. O MON – maior museu de arte da América Latina – completa 15 anos em 22 de novembro de 2017 e se consolida como um dos mais importantes museus do Brasil e do mundo. Realizou neste período mais de 300 exposições e a cada ano se supera em programação, mostras e conteúdo. A mostra fica em cartaz até o dia 3 de dezembro e a visitação pode ser feita de terça a domingo das 10h às 18h. Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca todos os dias.

Estrutura da mostra - A mostra será apresentada em três blocos: Objeto de Ofício - Segmento dedicado ao primeiro período, determinado pela manufatura artesanal de objetos inspirados pelas vivências do cotidiano e o uso intensivo da aquarela como parte do processo de visualização da ideia inicial da obra. Os trabalhos são fruto da intensa troca criativa ocorrida durante o período da formação dos artistas, no Instituto Superior de Arte em Havana. Naturalmente, também refletem o contexto cubano dos anos 1990, em franca crise econômica.

Objeto Possuído - Apresenta o momento em que o trabalho de Los Carpinteros começa a ganhar representatividade em importantes coleções no mundo com obras que, para além das problemáticas especificamente cubanas, falam de questões existenciais universais. 

Espaço-Objeto - Neste núcleo é dedicada atenção especial à arquitetura e às estruturas, temáticas constantes na obra dos artistas, que reiteradamente selecionam referências do entorno urbano para subvertê-las, ao alterar contexto e funcionalidade. Esse diálogo, característico do trabalho de Los Carpinteros, permeia toda a exposição e terá neste segmento um espaço reservado.

Sobre Los Carpinteros - Fundado em 1992, o coletivo reunia Marco Castillo, Alexandre Arrechea e Dagoberto Rodriguez, graduados pelo Instituto Superior de Arte de Havana. O nome foi atribuído aos artistas por alguns de seus colegas, em virtude da empatia com o material trabalhado e com o ofício que foi resgatado como estratégia estética.

Em 2003, Alexandre Arrechea deixou o grupo e Marco e Dagoberto deram continuidade ao trabalho. Los Carpinteros já expuseram em alguns dos maiores museus do mundo, como o MoMA e o Guggenheim em Nova Iorque, o Museum of Contemporary Art em Los Angeles e a TATE Gallery, em Londres. Já passaram também pelo México, Japão, França, Suíça, entre outros países. Os dois artistas que hoje compõem Los Carpinteros vivem e trabalham entre a capital cubana e Madri, na Espanha.

Serviço: Exposição Los Carpinteros – Objeto Vital Abertura: 22 de agosto, terça, às 19h – entrada gratuita Visitação: 23 de agosto a 3 de dezembro de 2017 Terça a domingo, das 10h às 18h Ingressos: R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Dias e horários especiais: Toda quarta gratuita com programação especial: 10h às 18h - Primeira quinta do mês: horário estendido até as 20h, gratuito após as 18h. Programação especial todos os domingos. Museu Oscar Niemeyer Rua Marechal Hermes, 999. Curitiba – PR Tel: (41) 3350 4400 - museuoscarniemeyer.org.br.

***Pela quarta vez consecutiva Perkins Motores do Brasil Ltda é reconhecida como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil***


Crédito da foto: Divulgação.

Na foto: Luis Lemos, Maurício de Lima, Elisabeth Hass e Rodrigo Chibior.

***Um dos institutos internacionais de pesquisa mais respeitado no Brasil, o Great Place to Work nomeou a Perkins como 10ª melhor empresa para trabalhar no Brasil na categoria multinacional média. O prêmio, que é definido através de uma pesquisa independente feita com os funcionários, foi divulgado e entregue na segunda-feira (14 de agosto de 2017), durante uma cerimônia que aconteceu no Espaço das Américas, em São Paulo (SP).

Estavam presentes no evento, Rodrigo Chibior, gerente de unidade; Elisabeth Hass, gerente de Recursos Humanos; Rita Truffi, gerente de Recursos Humanos da Human Services Division; Luis Lemos, engenheiro de manufatura; e Maurício de Lima, operador multifuncional. Os dois últimos foram escolhidos por meio de um sorteio em que os interessados em participar do evento deixaram seus nomes. “Este é o quarto ano consecutivo que fomos nomeados como uma das melhores empresas para trabalhar”, disse Rodrigo, bastante satisfeito.

“Ser reconhecida continuamente como uma das líderes entre as companhias multinacionais para trabalhar no Brasil é uma grande honra e algo do qual todo o time da Perkins fica muito feliz em receber.” Este ano, mais de 1.900 empresas no país participaram da pesquisa do Great Place to Work, conduzida pelo instituto que leva o mesmo nome. Para auxiliar na seleção das melhores empresas para trabalhar, o instituto considera uma série de critérios avaliados pelos próprios funcionários, anonimamente.

“Mais uma vez o feedback fornecido pelos funcionários por meio desta pesquisa anônima reconhece os benefícios da comunicação transparente, a qual nós sempre utilizamos”, disse Elisabeth. “Nós continuamos a focar em Nossos Valores em Ação, algo que todos dentro da planta podem se identificar; valores os quais reforçam nossa preocupação genuína e nosso respeito por cada pessoa que trabalha na empresa, independente da função que desempenha.

São estas ações, dentre tantas outras, que ajudam a manter o engajamento do funcionário ao longo do ano.” Elisabeth complementa ainda sobre a satisfação de estar entre as mais reconhecidas do país: “É muito emocionante fazer parte das Melhores Empresas para trabalhar no Brasil e prezar por esta forte conexão entre os valores da empresa e os valores do funcionário. É isto que determina o engajamento e a excelência e estamos muito orgulhosos disso.

Para mim, um dos melhores momentos do ano foi encorajar os funcionários a conversarem com seus filhos sobre Integridade. As crianças fizeram vídeos com o significado de Integridade e os ganhadores foram convidados a conhecer a empresa”. A pesquisa Great Place to Work também destacou o foco positivo da empresa no equilibro entre vida pessoal e trabalho e as ações contínuas com a comunidade, o que, segundo os funcionários, os deixa muito orgulhosos em trabalhar na Perkins.

“Estou muito feliz em termos recebido este prêmio em 2017, que é um ano importante para nossos negócios, ano em que comemoramos os 85 anos da Perkins”, adicionou Rodrigo. “Temos um história que nos dá muito orgulho dentro e fora do Brasil, onde desde o início de nossas atividades em Curitiba, em 2003, temos continuamente implementado e entregado os mais altos padrões de qualidade, atendendo às expectativas de nossos clientes tanto localmente como globalmente nos setores de agricultura, energia elétrica e construção.”

Sobre a Perkins - A Perkins Engines Company foi criada na Inglaterra em 1932. A empresa é líder mundial no desenvolvimento, na fabricação e venda de motores a diesel e a gás de alto desempenho. Em 1998, passou a ser uma empresa da Corporação Caterpillar, líder global na fabricação de equipamentos de construção e mineração, motores diesel e gás natural, turbinas industriais a gás e locomotivas diesel-elétricas. Operando desde 2003 em Curitiba, a Perkins Motores do Brasil é reconhecida pelo cuidado com as pessoas devido às suas boas práticas de gestão em segurança, saúde e qualidade de vida.

Serviço: Perkins Motores R. João Chede, 2489 - Cidade Industrial de Curitiba Curitiba | PR – CEP 81.170-220 Tel: (41) 3268-7864 - www.perkins-br.com.

***NovoLouvre lança coleção cápsula “Balada Protegida”***


Crédito das fotos: Divulgação.

***O NovoLouvre, marca que reflete a cultura da rua bem típica da cidade de Curitiba, traz a temática para a roupa mais uma vez. Desta vez o tema escolhido pela diretora de criação da marca, Mariah Salomão Viana, foi Balada Protegida, uma menção irreverente a um tema que está mexendo com a noite dos jovens curitibanos.


O termo batiza a coleção cápsula de moletons e camisetas com dizeres referentes às operações de fiscalização da prefeitura como AIFU, 156, Balada Protegida e No More Parties in CWB (essa última uma paródia à coleção Pablo de Kanye West). O lançamento será nesta quarta-feira com música do DJ Frank Issamu Maeda da festa Seleta.

O evento terá sorteio de uma camiseta da coleção. O chope do Senhor Garibaldi (bar que funciona dentro do showroom) será vendido a R$ 2,90. Quem comprar uma peça da coleção ganha um chopp. Serviço: NovoLouvre – Coleção Balada Protegida Rua Trajano Reis, 36, São Francisco Das 19 às 20h30.

***Mari Alexandre, Daniele Hypólito e Scheila Carvalho prestigiam aniversário de Marcelo Riformato***


Crédito das fotos: Renato Cipriano.

Foto 01: Scheila Carvalho, Marcelo Riformato e Sheila Mello.


Foto 02: Mari Alexandre e Marcelo Riformato.


Foto 03: A atriz e empresaria Sylvia Design e Marcelo Riformato.


Na foto 04: A ginasta Daniele Hypólito e Marcelo Riformat.


Foto 05: O modelo e reporter Franklin David.

***Nem mesmo o frio que fazia na capital paulista, impediu o encontro de vários famosos na noite do último sábado (12), que se reuniram com muita animação no bairro Jardim Anália Franco, para justos festejarem o aniversário de 42 anos do engenheiro civil, Marcelo Riformato.

Muito conceituado em sua área, o empresario reuniu amigos e famíliares em uma festa regada a muito champanhe ao som de música ao vivo, em um clima pra lá de descontraido com a presença de vários amigos vips.

Entre os convidados estava a ginasta Daniele Hypólito, a atriz e empresaria Sylvia Design, a atriz Mari Alexandre, o modelo e reporter Franklin David, as queridas e eternas dançarinas do grupo 'É o Tchan', Scheila Carvalho e Sheila Mello e também o professor de inglês de vários famosos, Leo Reis,correspondente internacional de Nova York.

Pouco antes de cortar o bolo que estava decorado em formado de obras, o aniversariante ganhou até um parabéns cantado por um saxofonista e logo em seguida todos puxaram o tradicional parabéns a você. Ao término da festa, todos os convidados foram presenteados com uma linda caixa contendo uma champanhe personalizada.

***Qualidade e segurança do paciente em debate***


Crédito da foto: Divulgação.

***Nesta sexta-feira (18/08), o médico Gustavo Justo Schulz, cirurgião gástrico e gerente médico do Hospital VITA Batel, realiza palestra no Evento Regional: Qualidade e Segurança do Paciente, promovido pela Secretaria da Saúde do Estado do Paraná. O encontro será realizado das 8h30 às 17h, na sede da Sesa, localizada na Rua Piquiri, no bairro Rebouças. O médico foi convidado devido à sua atuação e experiência na área de cirurgia segura em serviços de saúde.

Sobre o Hospital VITA - A primeira unidade da Rede VITA no Paraná foi inaugurada em março de 1996, no Bairro Alto, e a segunda em dezembro de 2004, no Batel. O VITA foi o primeiro hospital brasileiro a conquistar, no início de 2008, a Acreditação Internacional Canadense CCHSA (Canadian Council on Health Services Accreditation). A certificação de serviços de saúde avalia a excelência em gestão e, principalmente, a assistência segura ao paciente.

Além disso, o VITA é um dos hospitais multiplicadores do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente (PBSP). Ele visa disseminar e criar melhorias inovadoras de qualidade e segurança do paciente. Integra também o grupo de hospitais da Associação Nacional de Hospitais Privados – ANAHP.O VITA oferece atendimento 24 horas e é referência nas áreas de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia bariátrica, medicina de urgência, urologia, terapia intensiva, traumato-ortopedia e pediatria. Além disso, dispõe de um completo serviço de medicina esportiva, prestando atendimento a atletas de diversas modalidades; serviço de oncologia; Centro Médico e Centro de Diagnósticos.

Para garantir um alto nível de qualidade nos serviços prestados aos pacientes, o VITA tem investido em ampliação da infraestrutura, tratamentos com equipes multidisciplinares, modernização dos equipamentos, humanização no atendimento, qualificação dos profissionais e segurança assistencial. www.hospitalvita.com.br.

***Murro em Ponta de Faca: Espetáculo sobre Ditadura Militar circula pelo Paraná***


Crédito da foto: Lidia Ueta.

***A montagem do Espaço Cênico para o texto clássico de Augusto Boal, “Murro em Ponta de Faca”, faz em agosto e setembro uma temporada de circulação por 11 cidades do Paraná. Com direção de Paulo José, a peça, que trata da ditadura militar brasileira, inicia a temporada no dia 18 de agosto, no Theatro Municipal Heloína Ribeiro de Souza, em Piraquara, e segue até 3 de setembro, com novo elenco: Abílio Ramos, Gabriel Gorosito, Edson Bueno, Patrícia Saravy, Raquel Rizzo, além de Nena Inoue, criadora e diretora da companhia Espaço Cênico.

As atividades começam com a aula aberta de Iluminação, com Beto Bruel, sem necessidade de inscrição prévia, e seguem após a apresentação da peça com o debate “Exílios e Pertencimentos”. Em Piraquara a convidada será a socióloga Sonia Lafoz. Em seguida, o espetáculo segue para Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Umuarama, Arapongas, Maringá, Pinhais, Araucária, Campo Largo e Paranaguá, oferecendo sempre aulas de Iluminação com o premiado Beto Bruel, além de 15 debates com a participação de convidados de cada cidade, que vivenciaram os anos da ditadura no Brasil.

Selecionado no primeiro edital da lei Estadual de Incentivo a Cultura/PROFICE, a turnê “Murro em Ponta de Faca” conta com o patrocínio da COPEL. Emblemático texto da dramaturgia brasileira, escrito por Boal em 1974 foi o primeiro texto do autor montado no Brasil durante seu exílio no exterior, em 1978, pelas mãos do mesmo Paulo José que em 2011 aceitou o convite de Nena Inoue e segue assinando a direção do espetáculo, desde então. Sonia Lafoz nasceu em Argel, norte da África, mas diz que “meu coração é brasileiro”. “Cheguei em São Paulo aos 7 anos com a minha família de pai espanhol e mãe francesa.

A família deixou a Argélia em 1954, de certa forma, fugindo dos prenúncios da guerra de libertação argelina. Meu pai, era do Partido Comunista Espanhol no exílio e a polícia francesa da época ia buscá-lo a cada agitação política e ele ficava alguns dias preso. Posso até dizer que já nasci quase exilada”, conta ela, que tem 71 anos. “Até meus 20 anos permaneci em São Paulo e iniciando a faculdade de psicologia na USP na famosa Maria Antonia, palco de muita agitação política nos anos 60. Na USP a militância política era intensa e participei de todo o processo de lutas universitárias contra a ditadura que se instalara em 64 e que em 68 teve seu momento mais drástico. Com o endurecimento dos militares no poder a repressão aos estudantes se intensificou fortemente.

A clandestinidade veio como consequência”, completa. Murro em Ponta de Faca conta sobre um grupo de exilados brasileiros em suas trajetórias pelo Chile, Argentina e França. Um relato do Brasil e da América Latina à época da Ditadura, em precisa radiografia histórica e temática universal, sob o olhar de Augusto Boal e Paulo José, dois grandes nomes do teatro no Brasil e no exterior. “Passados 50 anos do Golpe Militar, trazer a cena o contexto histórico da ditadura brasileira e latino americana, período fundamental para o entendimento dos rumos da Democracia do pais”, pontua Nena Inoue, idealizadora da montagem que também atua.

A peça traz o exílio como temática, prática sempre presente na história da humanidade, que se por um lado é fruto da negação, da dominação, da intolerância e da exclusão, por outro, é a negação da negação, a resistência, a luta pela afirmação. Um trabalho que insiste que lembrar é resistir. “Hoje existe a prática da filosofia do perdão, do viver e deixar viver... eu afirmo que importante também é não esquecer, pois a perda de memória pode nos levar a repetir o erro”, diz o diretor, ressaltando a importância da montagem. “Montei esta peça quando, após uma leitura dramática no Espaço Cênico, constatei que os jovens na plateia não sabiam sobre este período do Brasil.

Afinal, é mais uma das coisas graves que passaram impunes no Brasil, que por isso continua réu na Corte Interamericana dos Direitos Humanos, por conta dos crimes cometidos na Ditadura e porque não levou a julgamento nenhum dos torturadores...acho que nunca levará, e assim a justiça não acontecerá. Então me sinto no dever de mostrar o que aconteceu”, completa Nena. Considerando a excelência dramatúrgica e atualidade da obra, a montagem busca estender a obra de Augusto Boal e apresenta não só a ditadura brasileira, mas também a latino-americana.

“A intenção é valorizar a memória nacional e ressaltar um período recente da História do Brasil ignorado por muitos, além de insistir no reconhecimento de brasileiros que resistem”, observa a atriz. Selecionado único pelo Paraná no Prêmio Myriam Muniz 2010 de montagem, o espetáculo estreou não por acaso, dia 31 de março de 2011, no Festival de Curitiba, no Espaço Cênico, e realizou temporadas no Rio de Janeiro e São Paulo, apresentando-se em diversas cidades do país com apoio de editais de circulação da Caixa Cultural, Funarte e Petrobras Cultural.

Serviço: Murro em Ponta de Faca Informações: https://www.facebook.com/murroemponta. Piraquara: Data: 18/08 - Horário: 19h30 Local: Teatro Municipal Heloína Ribeiro de Souza 21h Debate “Exílios e Pertencimentos” 16h Aula Aberta de Iluminação com Beto Bruel.
 
***Festival de Música do Sistema FIEP prorroga inscrições***


Crédito da foto: Divulgação.

***Está prestes a começar a edição 2017 do Festival de Música do Sistema FIEP que, neste ano, está em novo formato. Podem participar colaboradores das indústrias, dependentes diretos (filhos e cônjuges) e todos os alunos SESI, SENAI e IEL do Estado do Paraná, a partir de 14 anos. Serão seis etapas regionais que acontecerão por meio de oficinas e finalizadas em um grande Sarau aberto ao público. Para atender aos interessados, o Sesi Cultura prorrogou as inscrições até o dia 25 de agosto. A etapa final (estadual) do Festival contará com 24 cantores selecionados dentre todas as etapas regionais.

Os vencedores receberão troféu e premiação em dinheiro entregues durante um grande show que acontece em Curitiba, no Teatro SESI do Campus da Indústria. Realizado pelo Departamento Regional do Sesi Paraná por meio de sua Gerência de Cultura, o Festival de Música, além de promover a cultura local e revelar talentos paranaenses, visa fomentar e difundir a produção musical no país, fortalecendo a participação ativa na formação cultural dos participantes e colaboradores da indústria.

Para participar desse grande festival, é possível se inscrever gratuitamente. Interessados em participar, podem se inscrever como intérpretes nas categorias Música Regional, Música Sacra e Música Popular Brasileira. Cada candidato pode participar de apenas uma etapa regional, em uma categoria e com apenas uma música, individualmente ou em dupla. As etapas regionais acontecerão nas cidades de Maringá, Toledo, Pato Branco, São José dos Pinhais, Guarapuava e Arapongas (calendário abaixo). A grande final acontece no mês de novembro em Curitiba.

Período de inscrições: As inscrições são Gratuitas e podem ser realizadas até o dia 25 de agosto. Saiba mais consultando o regulamento no Edital 511/2017, disponível no site www.sesipr.org.br/cultura, em: Inscrições Festival de Música / Edital 511/2017. Quem pode se inscrever? Trabalhadores das indústrias do Estado, seus dependentes diretos (filhos e cônjuges), alunos do SESI, alunos do SENAI e alunos do IEL no Paraná (a partir de 14 anos). Datas e locais das etapas classificatórias: 23 de setembro: Maringá - SESI Maringá Rua Antônio Carniel, nº 499 – Zona 5. 

30 setembro: Toledo - Casa da Cultura Rua XV de Novembro, nº 1.638 – Jardim La Salle. 07 de outubro: Pato Branco - Teatro SESI Rua Xingu, nº 833 – Amadori. 21 de outubro: São José dos Pinhais - Teatro SESI Rua XV de Novembro, nº 1.800 – Centro. 28 de outubro: Guarapuava - Teatro SESI Rua Coronel Lustosa, nº 1.736 – Centro. 04 de novembro: Arapongas - Arena Arte e Cultura SESI Avenida Maracanã, nº 3.260 – Vila Bernardes. 24 e 25 de novembro (etapa final): Curitiba - Campus da Indústria Av. Comendador Franco, nº 1.341 – Jardim Botânico.

Sesi Cultura – Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia.

Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi.

De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro. http://www.sesipr.com.br/cultura - https://www.facebook.com/sesiculturapr.

***Paranaense grava álbum de música brasileira e americana em NY***


Crédito da foto: Divulgação.

***Um álbum com oito canções instrumentais será lançado no segundo semestre nos Estados Unidos e no Brasil pelo músico paranaense Samuel Martinelli. Aos 30 anos, o baterista vive em Nova York, onde faz mestrado em Estudo do Jazz. Suas composições misturam música brasileira e jazz e o álbum terá um lançamento especial em 2018 em Curitiba.

A ideia é que o show tenha a presença de músicos que participaram da gravação. Samuel nasceu em Toledo, mas foi em Curitiba que encontrou seu caminho artístico, frequentando a cena musical com nomes conhecidos, como o pianista Rodolfo Reichmann e o baixista acústico José Antonio Boldrini. Também tocou com Saul do Trompete e outros instrumentistas conhecidos.

Em Nova York, onde chegou em 2013 para quatro semanas como bolsista do Litchfield Jazz Camp, ele sai do conceituado Mozart Studio com oito músicas gravadas na companhia da premiada pianista japonesa Tomoko Ohno – que já se apresentou com a Dizzy Gillespie Big Band -, do baixista americano Marcus McLaurine e do trompetista brasileiro Claudio Roditi, indicado a dois Grammys.

A gravação coroa um período muito fértil na carreira do baterista. Somente no último ano e meio, ele se apresentou cerca de 150 vezes com cantores e grupos em diferentes projetos, na área metropolitana de Nova York, e em outros estados como Carolina do Norte, Indiana, Wisconsin, Washington DC e Connecticut.

***Detonautas Roque Clube lança novo single***


Crédito da foto: Fabiano Santos.

***“Nossos Segredos” é a nova música que o Detonautas Roque Clube apresenta para os seus fãs via plataformas digitais. A canção, com letra de Tico Santa Cruz e música dos Detonautas Roque Clube e Régis Leal, faz parte do sexto álbum de estúdio, intitulado VI. 

Com nove canções inéditas, o sexto álbum de estúdio da banda chega pela plataforma de distribuição digital independente, One rpm (ONE Revolution People's Music), em outubro.


Com 3,6 milhões de seguidores nas redes sociais, o lançamento de “Nossos Segredos” marca o início das comemorações dos 20 anos de estrada dos Detonautas. "Nossos segredos é uma canção confessional. Um pedido de trégua, de paz. 

Uma segunda chance. Com pitadas de Beatles, Queen e mutantes. Mas na forma Detonautas de fazer baladas. Acerta fundo no coração”, afirma Tico Santa Cruz. Site: http://detonautas.com.br - Lyric Vídeo: http://bit.ly/NossosSegredos - Ouça nas plataformas digitais: https://onerpm.lnk.to/DetonautasRoqueClube.

***Secretaria da Cultura abre exposição com grandes nomes da literatura paranaense***


Crédito da foto: Divulgação.

***Para apresentar um pouco do vasto e rico universo da literatura paranaense, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) e a Biblioteca Pública do Paraná (BPP) organizaram a exposição “Palavras do Paraná”, que reúne alguns dos principais autores do Estado. A mostra integra o Mês da Literatura e fica em exposição no hall da SEEC de 15 de agosto a 6 de setembro. A entrada é gratuita.

O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, acredita que uma das formas de conhecer o Paraná é por meio da literatura. “A exposição Palavras do Paraná homenageia e destaca a importância da literatura na construção da cultura paranaense. Também valoriza aqueles que, com sua genialidade e sensibilidade, ajudaram a construir nossa identidade cultural, fazendo do Paraná uma referência na área”.

Esta mostra apresenta 11 nomes da literatura paranaense, da primeira autora, a poeta Júlia da Costa (1844-1911), ao contista Dalton Trevisan, hoje com 92 anos, premiado no Brasil e no exterior por renovar o conto em língua portuguesa. A obra de Trevisan é encenada, adaptada para o audiovisual, traduzida e continuamente estudada. Os autores paranaenses são conhecidos e respeitados em âmbito nacional desde o início do século 20, quando Emiliano Perneta (1866-1921) se destacou como uma das vozes do movimento simbolista.

Entre os pioneiros estão também Emílio de Meneses (1866-1918) e Newton Sampaio (1913-1938), dois paranaenses que viveram no Rio de Janeiro, onde atuaram na imprensa. O poeta Meneses foi eleito para a cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras, enquanto o contista Sampaio conquistou um prêmio da ABL. Helena Kolody (1912-2004) e Paulo Leminski (1944-1989), dois nomes que marcam a poesia no Paraná, também são presenças necessárias nesta retrospectiva. Ambos escreveram livros que foram e ainda são porta de entrada para o universo da leitura.

Recentemente, a obra poética de Leminski foi reeditada e ultrapassou a marca de 100 mil exemplares vendidos, um recorde nacional — o que sinaliza o poder de comunicação do legado leminskiano, que se desdobra em canções e artes visuais, teatro e cinema. O chamado “Quarteto Experimental” da literatura paranaense também merece destaque. Jamil Snege (1939-2003), Manoel Carlos Karam (1947-2007), Valêncio Xavier (1933-2008) e Wilson Bueno (1949-2010) borraram as fronteiras entre os gêneros, aproximando literatura do cinema, jornalismo, histórias em quadrinhos, televisão e teatro.

São admirados por leitores, escritores e estudiosos no Paraná e em outros estados, e as suas obras estão adaptadas para outras linguagens. O legado desses 11 autores dialoga com a formação do Paraná, onde a convivência entre vários povos se revelou possível, resultando em um ambiente multicultural. Aqui, o outro é — mais que bem-vindo — necessário. Essa produção que influencia os contemporâneos se apresenta como referência fundamental.

Mês da Literatura do Paraná - Entre 24 de agosto e 29 de setembro de 2017, a SEEC e a BPP promovem o Mês da Literatura do Paraná. Com o objetivo de fomentar e estimular a leitura e a literatura no Estado, a programação deste ano inclui show com músicas de Paulo Leminski, exposição sobre autores paranaenses, bate-papo com escritores, fórum sobre leitura e literatura, feiras de livros, e muito mais. A programação completa estará disponível no site www.cultura.pr.gov.br.

Serviço: Exposição Palavras do Paraná De 15 de agosto a 6 de setembro de 2017 Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná Entrada gratuita. Secretaria de Estado da Cultura Rua Ébano Pereira, 240 – Centro. Curitiba-PR Visitação de segunda a sexta-feira das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h Tel: (41) 3321-4700 | (41) 3321-4708.